Chocante e negro

«Andava em pulgas para ler o novo livro do Nuno. Depois de ler A Célula Adormecida, a expectativa ficara em alta para Pecados Santos. Só vos posso dizer que esta foi superada em muito. Esta história é brutal.

O Nuno está cada vez melhor na sua escrita e na forma como constrói as histórias. É notório o trabalho de pesquisa realizado, bem como o esforço de construir cenários mais arrojados e surpreendentes. Em comparação ao livro anterior, A Célula Adormecida, este está mais forte, mais chocante, mais negro.

Com capítulos pequenos e saltos entre o presente e o passado, a leitura faz-se num abrir e fechar de olhos. Fiquei completamente agarrada à história e em apenas umas horas, no decorrer de dois dias, li o livro. E nas pausas que fiz, a história continuava na minha cabeça, a espicaçar-me a curiosidade.

Adorei reencontrar Afonso Catalão, meu conhecido de A Célula Adormecida, e que volta a este livro ainda mais inteligente e misterioso. Reencontrei também a destemida Diana Santos Silva e o seu irmão, Alexandre. Este trio é fabuloso. Personagens fortes que criam histórias ainda mais ricas.

Depois de terminada a leitura e refletir sobre a mesma, só posso dizer: UAU! Arrisco a dizer que é o melhor livro do Nuno e que será um dos meus livros do ano. Ainda estamos em fevereiro, mas tenho a certeza disso.

Surpreendi-me até ao final, e que final! Só posso recomendar-vos a leitura mil vezes. Muito bom! Parabéns, Nuno. Já estou em pulgas para ler o próximo.»

Isabel Caldeira, Manta de Histórias.

Adicionar Comentário

O seu email não vai ser publicado. Os campos necessários estão marcados com *