Entrevista Leituras Descomplicadas: «O Cardeal é um livro que homenageia toda a série Afonso Catalão.»

Destaques da entrevista concedida ao blogue Leituras Descomplicadas.

Por Sandra Campaniço Cavaleiro.

E agora falando mais em especial de Afonso Catalão… Como nasceu este professor com ligações aos serviços secretos? Inspirou-se em alguém para esta personagem tão marcante?

Curiosamente, apesar da longevidade que a série já tem, Afonso foi uma personagem pouco planeada, ou, pelo menos, não tanto como o protagonista da trilogia Freelancer. Quando estava preparar A Célula Adormecida, o primeiro tomo da série, dei-me conta que necessitava de uma personagem principal com duas características fundamentais: um passado escondido, cheio de meias-verdades e histórias mal contadas, e uma bagagem cultural acima da média, adequada aos arcos narrativos do livro. Precisava de um herói assim porque desejava escrever um livro mais negro do que os anteriores. Por outro lado, tinha de ser credível. Daí que a primeira coisa que fiz foi construir o currículo do senhor professor.

É indiscutível o sucesso de vendas que os seus livros são, principalmente os da série de Afonso Catalão. Acha que são uma boa forma de refletir sobre o papel da religião na sociedade dos dias de hoje?

Ainda bem que a Sandra colocou esta questão; é muito pertinente. Não o fiz em todos os livros, mas em alguns tentei levantar questões atuais sobre a forma como nós, crentes ou não, nos relacionamos com a religião. Por exemplo, em A Célula Adormecida somos questionados sobre os preconceitos que nós, ocidentais, mantemos em relação ao Islão. Serão todos os muçulmanos terroristas? Será que um terrorista sequer se poderá intitular um crente, quanto mais, um muçulmano?

Noutros, como foi o caso de Pecados Santos, procurei dar apenas a conhecer a religião — o judaísmo, neste caso —, ou questionar alguns dos valores cristãos, como acontece em A Morte do Papa. Gosto de experimentar registos alternativos; daí que os livros da série não sejam réplicas uns dos outros.

Chega-nos agora O Cardeal que nos continuar a levar pelos corredores da Cidade do Vaticano. O que podem os leitores esperar deste livro?

O Cardeal centra-se na morte de uma idosa e no desaparecimento de uma criança, curiosamente vizinhos, cujos cadáveres são descobertos na pacata cidade universitária de Cambridge, junto ao rio Cam, com poucos dias de intervalo. Simultaneamente, o livro fecha um dos arcos narrativos que deixara aberto no fim de A Morte do Papa, criando uma ligação entre os acontecimentos no Palácio Apostólico e na cidade de Cambridge.

É um livro algo diferente dos anteriores, que na minha opinião homenageia toda a série, trazendo de volta referências aos seus antecessores, e fazendo reaparecer personagens, enquanto desenvolve novas. Contém várias surpresas, mas julgo que uma das maiores será o regresso de Afonso à Universidade de Cambridge.

Um novo livro que chega às livrarias no novo ano… Quais os seus desejos, enquanto escritor, para este novo ano e que palavras gostaria de dirigir aos leitores em Portugal?

Apenas desejo que todos nós, em geral, incluindo os leitores, possamos retomar a normalidade. Gostaria que voltássemos a poder estar com as nossas famílias e amigos, sem medo de os contagiarmos, e que as pessoas que na sequência da crise que se instalou perderam o emprego, consigam recuperá-lo.

Por último, o que falta escrever a Nuno Nepomuceno? Vamos continuar a acompanhar as aventuras de Afonso Catalão?

A série irá continuar durante pelo menos mais um livro. Conto escrevê-lo durante o ano de 2021, tendo em vista uma publicação que deverá acontecer no primeiro trimestre de 2022. Entretanto, será reeditada pela Cultura Editora toda a trilogia Freelancer e deverei ainda preparar uma segunda temporada da série de ficção em podcast O Assassino.

Não fiz planos para depois de 2022. Neste momento, pondero seriamente a hipótese de, após a edição do sexto volume da série Afonso Catalão, fazer uma pausa por tempo indeterminado, no mínimo de dois anos.

 

A entrevista pode ser lida na íntegra no Leituras Descomplicadas.

Sandra Campaniço Cavaleiro também leu O Cardeal e escreveu uma excelente opinião sobre o livro. Podem lê-la aqui.

«O Cardeal: Diferente E Intenso… Um Thriller Que Não Podes Perder!»

Adicionar Comentário

O seu email não vai ser publicado. Os campos necessários estão marcados com *